Blog


Controle do Xbox360 no Ubuntu
Categoria(s): Jogos Linux Notas Utilidades

O Ubuntu 14.04 já vem com a última versão do driver xboxdrv, que trabalha muito bem com os controles com fio (e sem fio) do Xbox 360 e compatíveis (da Logitech).

O problema é que o pacote que contém o driver (xboxdrv) apenas instala o driver, e não o coloca pra rodar automaticamente.

Pensando nisso, eu criei um pacote que, além de instalar corretamente o xboxdrv, cria um serviço (daemon) que o inicia automaticamente, limpa algumas configurações quebradas, e por útimo, cria um item chamado "Joysticks" no System Settings (o Painel de Controle) do Ubuntu.

Para instalar este pacote, execute no terminal:

sudo apt-add-repository -y ppa:rael-gc/ubuntu-xboxdrv
sudo apt-get update
sudo apt-get install ubuntu-xbobxdrv





Teclado internacional no Ubuntu
Categoria(s): Linux Notas Utilidades

Se você usa um teclado internacional no Ubuntu, já deve ter percebido que o comportamento é diferente de um teclado em português, ou mesmo do comportamento de um teclado internacional no Windows.

Por exemplo: além de não sair o cedilha (e sim um c acentuado), várias pontuações só aparecem depois de se digitar espaço ou usar uma tecla de composição.

Eu achei um jeito de arrumar isso, e criei um repositório no Github com isso.

Aqui vai apenas a tradução dos passos que estão lá.

  1. Baixe o arquivo .XCompose pra sua home:

    wget https://raw.githubusercontent.com/raelgc/win_us_intl/master/.XCompose

  2. Instale o pacote uim pra habilitar o uso do arquivo .XCompose:

    sudo apt-get install uim

  3. Torne o uim o gerenciador de entrada padrão para seu usuário:

    im-config -n uim

  4. Reinicie.






Atualizações da classe Template

Várias melhorias na classe Template: suporte a namespaces, blocos FINALLY, modificadores, blocos automáticos.

Além disso, tanto a classe quanto o tutorial ficarão disponíveis no Github, e aqui na minha página eu passarei a usar apenas uma cópia do tutorial baixada de lá.

Com isso, fica mais fácil das pessoas fazerem suas modificações para uso pessoal (usando o Fork), criarem issues, participarem do desenvolvimento, etc.






Desligando wireless do modem Motorola SVG 1202
Categoria(s): Utilidades

Há uns tempos atrás, a Net trocou meu velho cable modem por um modelo Motorola SVG 1202, que já oferece o serviço de rotear conexões wireless.

O sinal wireless dele é um pouco mais fraco que um bom roteador, mas se você não precisar de mais alcance, sem problemas.

Como eu mudei de casa, e o sinal estava ruim em outros cômodos, eu comprei um repetidor de sinal wireless.

Mas notei, que esse modem/roteador da Motorola não se dá bem com outros dispositivos tentando repetir seu sinal. Tanto usando o repetidor wireless, quanto um outro roteador como repetidor, esse modem da Motorola derruba a internet toda hora.

Chamei um técnico da Net, que "não oficialmente" disse que esse modem realmente não é lá aquela maravilha como roteador.

Então resolvi pegar meu velho (e excelente) roteador de 3 antenas, e colocá-lo de volta, desligando o modo wireless do modem da Motorola.

Para isso, depois de conectar no modem (que fica no IP 192.168.0.1), é preciso desligar os seguintes serviços:

1 - Wireless (Wireless -> Primary Network -> Disable)
2 - NATP (Advanced -> NAPT Mode -> Disable)
3 - DHCP Server (Basic -> DHCP -> Disable)

Conecte então seu roteador como faria normalmente, e pronto, seu modem estará apenas conectando ao seu serviço de internet, e o roteador wireless fazendo seu trabalho de distribuir o sinal da rede sem fio.

Com isso, parei de ter os problemas de toda hora o roteador ficar perdendo o sinal quando algum dispositivo tenta repetir seu sinal.






Criando um gemset por projeto

Antes de criar um projeto Rails novo, do zero, caso ainda não tenha o RVM, instale seguindo as instruções do site oficial: https://rvm.io/rvm/install

Depois, instale a versão do Ruby desejada (no meu exemplo, a versão 2.0.0-p247):

rvm install ruby-2.0.0-p247

Crie um gemset para este projeto, para não ter problemas com gems conflitantes de outros (no exemplo, eu chamei o projeto de projeto):

rvm gemset use --create ruby-2.0.0-p247@projeto

Após criar o projeto, vá ao arquivo Gemfile, e coloque logo nas primeiras linhas, as informações sobre qual a versão do ruby, a gemset (fica dentro de uma linha comentada mesmo), e a versão do rails. As primeiras linhas do Gemfile ficarão assim, seguindo meu exemplo:

source 'https://rubygems.org'
ruby '2.0.0'
#ruby-gemset=ruby-2.0.0-p247@projeto
gem 'rails', '4.0.0'

Isto fará o Heroku já instalar automaticamente a versão correta do Ruby.

Mas não irá garantir que sua máquina local use a gemset correta automaticamente.

Para garantir que a gemset correta seja usada cada vez que você entrar na pasta do projeto, crie dois arquivos na raiz do projeto:

        .ruby-version

Que deverá conter a versão do Ruby, ou seja: ruby-2.0.0-p247

E crie o arquivo:

        .ruby-gemset

Que deverá conter o nome da gemset, ou seja: projeto

Não use um arquivo .rvmrc. Dessa forma, você estará usando automaticamente as versões corretas do Ruby, das gems, tanto localmente, quanto no Heroku, e sem warning algum.





Anúncios